CURTAS

CURTAS EDIÇÕES 2145

Por: Redação | Categoria: Acidente | 18-10-2017 08:10 | 3780
Foto: Reprodução

REVELAÇÃO
A prática vem não é de hoje, nas câmaras, assembleias estaduais e no Congresso, e isto mais uma vez ficou claro na sessão da Câmara de Paraíso, segunda-feira,16, dando conta de como funciona os bastidores da casa. Antes de irem para o plenário costuma haver reunião prévia da pauta, oportunidade em que são debatidos alguns assuntos e já são definidos alguns posicionamentos. Tido como momento reservado sem a presença de câmeras e microfones muito do que se fala ali ficava por ali mesmo, mas o que se revelou dá o tom do que ocorre e da forma com que algumas situações são tratadas.




IMPASSE
Por conta de uma resposta recebida do Executivo e interpretada como malcriada, o presidente Marcelo Morais decidiu obstruir a pauta e projetos foram retirados das discussões. A justificativa é de que enquanto não forem respondidos questionamentos as proposições não serão votadas. Morais condicionou também que enquanto o prefeito não demitir o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Ulisses de Araújo Silva, os projetos não voltam à pauta, e outros sete, autoria do Executivo, também serão retirados.




VÍDEO
Marcelo há algum tempo queixa-se que o secretário Ulisses de Araújo tem procurado armar algumas situações contra ele, o colocando em confronto com o prefeito. A gota d’água segundo afirma o presidente da Câmara, teria sido um vídeo supostamente enviado pelo secretário para uma emissora de tevê, no qual Marcelo, que é professor, aparece se indispondo com um aluno em sala de aula.




CONVOCOU
O vereador Serginho foi o autor do requerimento em que pede a presença do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ulisses Araújo, na Câmara Municipal, na próxima segunda-feira. Oxalá a situação seja esclarecida. Divergências são previsíveis, ainda mais no campo político, o que não convém em nenhuma circunstância, é que por conta de desavenças, de cunho pessoal, venham ser motivo para atravancar o desenvolvimento do município.




ENCAROU
O vereador Paulo César de Souza (Tatuzinhno) questionou o presidente da Casa sobre alguns assuntos. Indagou sobre sua afirmativa na sessão da semana passada de que havia vereador envolvido na intermediação da venda de imóveis da Prefeitura. Foi pedido que nomes fossem apresentados já que a acusação não apontava para alguém específico e generalizava em torno de outros pelo menos oito vereadores, já que a casa tem uma mulher e em momento algum foi citada a vereadora. Os demais estariam sob suspeita, ponderou Paulo César.




NO AR
Assim que eu tiver as provas direi o nome, rebateu Marcelo Morais, afirmando que sobre este tema, há quem se dispõe ir à Câmara e usar a tribuna livre. Mas a situação não ficou clara, estando mais para um balaio de gato. 




VENDA
O vereador Sérgio Gomes do alto da experiência de seus quatro mandatos como vereador e como estudioso dos assuntos diversos relacionados a Câmara, posicionou-se a respeito se o Município pode ou não vender terrenos para quitar dívida com o Instituto de Previdência local. A dúvida, “em longo arrazoado” foi levantada pelo vereador José Luiz das Graças. Levantou a bola para o vereador Jerominho cabecear. Serginho matou a cobra e mostrou o porrete: garantiu que a venda pode ser feita e mencionou a lei que assim autoriza.




GANHOS
Os vereadores Vinício Scarano e Lisandro Monteiro, do partido Solidariedade, conseguiram através do deputado Zé Silva, 100 quilos de feijão e 150 quilos de milho, material que foi entregue semana passada para os representantes das associações rurais do município e duas entidades sociais. As sementes serão repartidas e serão plantadas nas comunidades. Já o vereador Paulo César, disse que através do deputado Aelton Freitas, conseguiu a obtenção de um trator que atenderá neste ano uma associação rural de Paraíso. Os produtores do setor agradecem.




“OLHAI POR NÓS”
Paralelo a avenida Dr. Delfim Moreira, há um pequeno trecho de rua onde foi leito da estrada de ferro Mogiana, depois Fepasa. Moradores das quatro residências se sentem abandonados pela administração pública municipal, pois conforme disse um deles a esta coluna, não há pavimentação, rede de esgoto, padrões de energia ficam na Av. Delfim Moreira. E para completar, não passa caminhão coletando lixo. “Daí o apelo: Senhor Prefeito, olhai por nós”, diz o morador.