RISCO DE ACIDENTES

Rodovia Itirapuã até divisa com São Tomás, buracos a perder de vista

Por: Nelson Duarte | Categoria: Transporte | 21-04-2023 16:29 | 3383
Foto: Nelson Duarte/Jornal do Sudoeste

Tradicionalmente, rodovias paulistas sempre foram bem cuidadas, bem mantidas. Mas nem tudo é perfeito. É o caso do pequeno trecho em torno de 12 quilômetros da chamada Rodovia dos Agricultores, a ITP-010 que liga Itirapuã ao município mineiro de São Tomás de Aquino, onde são incontáveis os buracos na pista, perigo constante para quem se arrisca a fazer o percurso.

E não é de hoje. Usuários convivem com o problema há algum tempo, e nem os muitos acidentes registrados, alguns fatais, foram capazes de sensibilizar o governo paulista. Entra e sai administração municipal em Itirapuã, e no Palácio dos Bandeirantes, e o problema continua.

Nos últimos dias a redação do Jornal do Sudoeste recebeu diversas ligações, gente preocupada com familiares, universitários que estudam em Franca, profissionais que por dever de ofício fazem o percurso diuturnamente, arriscando a vida.

Quarta-feira (19/4) a reportagem do jornal percorreu a rodovia, e permaneceu em alguns locais onde a situação é mais crítica. Não foi necessário muito tempo para presenciar cenas que confirmam que se medidas não forem tomadas com urgência, ao menos paliativas, com “tapa-buracos”, fatalmente vidas serão ceifadas.

O trânsito de veículos é intenso. E logo nos primeiros quilômetros após a divisa entre os estados de Minas e São Paulo, para desviarem de buracos no asfalto, condutores que seguem sentido São Tomás – Itirapuã, tendem a puxar o veículo um pouco para a esquerda, tomando a pista contrária. E aí mora o perigo, como o “JS” pôde presenciar.

Em outros pontos, a história se repete. Por incrível possa parecer, até trator tombou na pista, “pra frente da igrejinha”, terça-feira (18/4). Na semana passada um ônibus da Prefeitura de São Tomás de Aquino que conduzia universitários para Franca acidentou-se, pelo menos nove deles, além do motorista se feriram.

O Jornal do Sudoeste entrou em contato com a Prefeitura de Itirapuã, querendo ouvir o prefeito Gerson Luiz Alves a respeito das reclamações de paraisenses e aquinenses sobre a má conservação da Rodovia dos Agricultores. Sua assessoria afirmou que ele estava participando de reunião e entraria em contato com a redação do “JS” no final da tarde. Informações, não confirmadas, dão conta que a rodovia é municipal.

A assessoria do prefeito nos enviou um vídeo onde ele ao lado de um assessor afirma estar no DER em São Paulo, onde teria reivindicado o recapeamento da rodovia, segundo afirma, com pedido de urgência. Até a conclusão desta matéria, o prefeito Gerson Luiz Alves não havia retornado à ligação.

 

SÃO TOMÁS DE AQUINO
por Selma Braia                                  

Seria de bom tom, pelo menos algumas placas informando o perigo

Indignação é o sentimento que toma conta de qualquer cidadão consciente de seus deveres e direitos, ao fazer o curto trajeto de São Tomás de Aquino (Minas) até Itirapuã (SP).

A estrada asfaltada, já há algum tempo cheia de buracos. Sai de um, cai em outro. E me vem à cabeça, pensando, a aflição de pais de estudantes de São Tomás e Paraíso com seus filhos, estudando em Franca (SP).

Não posso me calar diante deste fato político-administrativo do Estado de São Paulo. Não estamos no tempo do Novo Testamento em que Jesus Cristo ressuscitava os mortos. “Depois do leite derramado, não adianta apagar o fogo”.

Gostaria de afirmar que políticos da região em que a estrada existe, estão preocupados com suas agendas de viagem para ir em busca de recursos e soluções para os municípios, e que nelas não existem e constam só festas folclóricas, de peão, encontros cafeeiros, mas de resultados positivos, de uma vida digna de direitos e deveres, como deve ser em qualquer país que cuida de sua democracia.

Pelo menos seria de bom tom e responsabilidade, algumas placas avisando do perigo que a estrada apresenta para motoristas que pela primeira vez realizam este percurso.