ORGÂNICO

Adubo orgânico produzido por paraisense tem alcançado resultado surpreendentes

Por: Nelson Duarte | Categoria: Agricultura | 24-01-2024 04:25 | 120
Foto: Arquivo “JS”

O paraisense Benedito dos Reis Modesto desde criança presenciou sua avó manipulando raízes e folhas de plantas para produzir loções curativas. Tomou gosto, e sua afinidade com a Natureza tem resultado na descoberta não apenas de fitoterápicos, mas de adubo orgânico com resultado surpreendente em lavouras e plantas domésticas.

O adubo é produzido a partir de compostagem com a junção de misturas que podem incluir serragem, palhas de café, folhas galhos triturados, restos de frutas, podendo se acrescentar cama-de-frango, dentre outros ingredientes, pois segundo ele “é o segredo”.

A mistura, que ele desenvolveu em 2007 conforme explica, potencializa o desenvolvimento de plantas e a produção, tendo sido testada em lavouras de café, milho, hortas de verdura e flores, cada qual com sua dosagem específica. “Um amigo levou amostra para um instituto de pesquisa no Rio Grande do Sul, e o resultado da análise de laboratório chamou a atenção de pesquisadores”.

O acelerador de compostagem, ou seja, “o segredo”, segundo Benedito dos Reis, é colocado numa proporção de dois litros para cem litros de água, por tonelada, sendo também inibidor de odores extremamente fortes.

Em 2014 o Jornal do Sudoeste publicou matéria e ouviu a engenheira agrônoma Priscila Aparecida Carmosini. Ela levou amostra do adubo produzido por Benedito dos Reis para a universidade onde estudava, e montou um estudo para verificação da relação entre a quantidade de adubo e desenvolvido no cultivo de alface. “Fomos fotografando cada fase em que aplicávamos mais o produto e seus resultados, porém o estudo foi interrompido por uma chuva de granizo e não pudemos concluí-lo.

 Mas posso dizer que, pelo que percebi durante a pesquisa, é que o adubo é duplamente rico, porque recicla materiais e porque carrega em si micronutrientes muito importantes, que a maioria dos adubos não possui.

O rendimento é muito bom, sendo que observamos, em uma dessas etapas, através das fotos, que o alface teve ótimo desenvolvimento com quatro toneladas do produto. Meu conselho é de que, como ele faz o adubo cada vez com elementos diferentes, é necessário fazer uma análise de sua composição e a pessoas que for utilizá-lo, fazer uma análise de solo para compatibilizar esses componentes”, disse a engenheira.